Notícias
  09/04/2015 às 14h56

Disputa da autoria da música continua na Justiça, e o lucro já ultrapassa R$ 10 milhões


Disputa da autoria da música continua na Justiça, e o lucro já ultrapassa R$ 10 milhões

   A novela sobre a disputa da autoria da música "Ai, se eu te pego" está só começando. As estudantes paraibanas Marcella Quinho Ramalho, Maria Eduarda Lucena dos Santos e Amanda Borba Cavalcanti de Queiroga querem tirar de Sharon Acioly o direito de ser uma das autoras da canção e inserir o nome delas. Elas alegam que criaram o sucesso durante uma viagem para a Disney.
   Já Sharon diz que ela e mais três amigas (Karine Vinagre, Amanda Cruz e Aline Medeiros) fizeram a música numa brincadeira no palco do Axé Moi, em Porto Seguro. Originalmente, elas contam que fizeram no ritmo de funk, mas depois Michel Teló e Antônio Dyggs transformaram a música num sertanejo.
   Nesta quinta-feira, o advogado Jonas Lopes de Carvalho Neto, que representa Sharon, viaja à Paraíba, onde o processo está sendo julgado, para defender sua cliente e tentar agilizar a ação. Como a autoria do hit está sendo discutida, a Justiça bloqueou a arrecadação da música, que já chega a R$ 10 milhões.

   O advogado também vai mover uma ação contra a empresa de Teló para que o escritório do cantor faça uma prestação de contas de toda a arrecadação de "Ai, se eu te pego". Ele alega que até hoje, mesmo com o sucesso no mundo todo, Sharon só recebeu pouco mais de R$ 100 mil de tudo que a música arrecadou.
  “É muito pouco para uma música que teve todo esse sucesso. Tem venda de ringtone, loja da Apple, venda de DVD”, descreve Jonas Lopes de Carvalho Neto.


Fonte: G1

sombra

Promoções
sombra

Artista em Destaque

262
38

Amigos da Super