Notícias
  24/09/2019 às 14h36

Ameba "comedora de cérebro" que matou menina pode ser encontrada no Brasil


0
0
Ameba

Uma menina de 10 anos morreu após ser contaminada por uma ameba "comedora de cérebro humano", o caso aconteceu nos Estados Unidos. Além disso, na Argentina um menino de oito anos foi morto pelo mesmo motivo e teve a morte confirmada pela Sociedade Internacional de Doenças Infecciosas (ISID).

De acordo com os especialistas, a Ameba que 'come cérebro' pode ser encontrada no Brasil. Esta, é uma espécie de protozoário, que vive em lagos e rios de água morna, ou em piscinas aquecidas. Ambas crianças foram contaminas após nadar em águas infectadas pela ameba Naegleria Fowleri. A contaminação ocorre via oral, após uma pessoa inalar a água.

No Brasil, existem diversos tipos de ameba de vida livre, inclusive a Naegleria fowleri. Apesar disso, a comunidade científica não registra casos de contaminação em humanos.

De acordo com o parasitologista Danilo Ciccone Miguel, do Departamento de Biologia Animal da Unicamp , já foram registrados pelo menos cinco casos de infecção por amebas de vida livre, porém, para apenas um caso confirmou-se que a espécie Naegleria fowleri foi a responsável pela morte do indivíduo. Mesmo assim, este caso ainda é considerado contraditório.

“Essa questão é bastante complexa porque os achados, que datam de uma publicação científica de 1985, afirmam que havia um total de 5 casos de meningoencefalite amebiana primária detectados no Brasil (2 em São Paulo, 2 no Ceará e um no Rio de Janeiro). Porém, para apenas um deles foi confirmada a presença de Naegleria fowleri no cérebro do paciente, depois que ele faleceu”, explica o professor.

O que se pode afirmar com certeza é que em 2009 foi confirmada a morte de um bezerro por meningoencefalite causada pela ameba comedora de cérebro no Estado da Paraíba.

+ Siga a rádio FM Super também pelo Facebook e pelo Instagram.

Contaminação

Não são todas as amebas de vida livre que causam problemas para o nosso organismo, mas a Naegleria Fawleri pode ser perigosa: ela entra no corpo humano pelo nariz, quando uma pessoa mergulha e aspira água, e atinge o sistema nervoso central – vai para o cérebro.

O parasitologista explica que, em pouco tempo, essa ameba causa uma infecção no cérebro e nas membranas que fazem parte do sistema nervoso, o que leva a hemorragias e edemas. Esta doença é chamada de meningoencefalite amebiana primária (MAP) e os primeiros sintomas podem aparecer uma semana depois do contágio. A doença tem um curso muito rápido e pode levar à morte em uma ou duas semanas após a exposição.

Como evitar a contaminação

Para evitar o contágio, o ideal é não nadar em lagos ou lugares de água parada. Se for fazer, o melhor é proteger o nariz para evitar que a ameba “comedora de cérebro” entre no organismo. Vale ressaltar que uma pessoa infectada não é capaz de transmitir este parasita para outra pessoa. 

Por Folha Vitória

Link da matéria original:
https://www.folhavitoria.com.br/saude/noticia/09/2019/ameba-comedora-de-cerebro-que-matou-menina-pode-ser-encontrada-no-brasil

Tags
sombra

Promoções
sombra

Artista em Destaque

247
36

Amigos da Super