Artista em Destaque

Naiara Azevedo

   

Sucesso em terreno onde só reinavam os homens, cantora traz o olhar feminino ao universo sertanejo


114
5
Naiara Azevedo

Biografia
Fruto de uma novíssima geração de fãs que se mostram interessados no ponto de vista feminino nas canções sertanejas, Naiara de Fátima Azevedo conta apenas com 27 anos de vida. A pouca idade vale por uma intensa trajetória musical. Foi lá, no sítio da família, que Naiara morou até os 16 anos. Já aos 13, participou de um concurso, o “Fera”, no Paraná, numa disputa escolar da região. Venceu com um hit internacional. O caso é que, para encarar a competição, queria tocar ela mesma o violão que embalaria sua apresentação. E não sabia. Foi o saudoso “tio Nelson”, amigo do pai, quem sacou de cima de um guarda-roupa uma viola velha, estufada, coitada, de tanto abraçar o gotejar que lhe caiu do teto durante anos. O namorado de uma tia reformou a violinha e a transformou em violão. Em uma semana, aprendeu a tocar, e lá foi ela, Naiara Azevedo, ganhar o mundo.

Só sete anos depois, no entanto, Naiara se viu em condições de viver de música. Àquela altura, já estava quase terminando a faculdade, passo inicial de quem se permite dizer hoje que é graduada e pós-graduada em estética e cosmetologia na área de pós-operatório facial e corporal, sem nunca ter atuado de fato no ramo.

A primeira música
Foi na última aula da pós-graduação que ela teve a inspiração de escrever uma espécie de resposta a uma música que se chama “Sou foda”. Veio daí o hit “Coitado”. Quase em tom de brincadeira, gravou a música na câmera digital e emprestou a um colega que tocava violão com ela, na época, e também fazia vídeos. Como ele sempre saía com a câmera, o vídeo de Naiara estava em meio aos registros dele, que acabou subindo a música para o YouTube e deu no que deu: em menos de uma semana, tinha 300 mil acessos, marco alcançado sem qualquer divulgação ou ação, só à base do “boca a boca”.

Sucesso nacional
No início de 2016, Naiara e seu empresário Rafael Cabral, resolveram gravar um DVD. Abrindo o trabalho, está a emblemática “50 reais”. A letra é uma compensação às mulheres que se sentem traídas, e é bom que saibam o quanto essa dor pode acometer qualquer uma. Convém notar que essa sensação, no caso feminino, sempre foi tradicionalmente cantada no universo sertanejo pelo outro lado, o dos homens, e isso, por si só, já vale como diagnóstico para o sucesso que as mulheres hoje vêm alcançando no cenário sertanejo. Mais que um ato solidário às ouvintes, é um gesto de desaforo, e por que não chamar de vingança, só a título de exorcizar as mágoas antes oprimidas pelo ponto de vista alheio.

Não foi tarefa fácil concluir o DVD, iniciado sem um centavo. Naiara botou fé na profecia de uma senhora que aconselhou seu grupo a não desistir, que tudo daria certo. Venderam o que tinham e o que não tinham, fizeram empréstimos, e seguiram. O trabalho bem feito conspirou a favor da obra. Logo Naiara Azevedo assinou um contrato com a Mega Produções Artísticas, empresa que administra a carreira de João Neto e Frederico.

Modida, Beijo e Tapa
E como o sucesso é uma marca da cantora, confira o clipe oficial da nova música de trabalho de Naiara Azevedo, "Modida, Beijo e Tapa", que você já curte aqui na rádio FM Super:


Compartilhe:

Promoções
sombra